Europa

Principais Destinos

[accordion] [acc_item title=”FRANÇA”]

Deve ser por causa da comida, delicadamente saborosa e refinada. Ou pelos vinhos, atrás dos quais peregrinam enólogos do mundo inteiro. Talvez por sua empolgante variedade geográfica, rica em montanhas, campos de flores, praias. Ou de repente é por seu riquíssimo e preservado legado cultural e arquitetônico – venha ele do período galo-romano, medieval ou renascentista. A explicação pode estar na maravilha que é Paris. Enfim, deve ser por alguns desses motivos, ou melhor, pela combinação de todos, que dados da Organização Mundial de Turismo revelam que a cada ano a França recebe em média 76,8 milhões de turistas estrangeiros. Trata-se de um número 20% maior do que a própria população francesa, fazendo do maior país da Europa Ocidental o mais visitado do planeta. Essas estatísticas impressionantes endossam a fama da França de campeã dos desejos dos viajantes e combinam com o notório orgulho francês de se saber grandioso, importante, eterno – uma nação que conquistou e deixou sua influência em boa parte do mundo e que não se cansa de atrair admiradores com seu charme, refinamento e beleza.

Os roteiros são muitos e diversos, visitando a glamourosa Riviera, ao sul, ou o históricos litorais da Normandia e Bretanha, no Atlântico – com as praias do Dia D e o poderoso Monte Saint-Michel. No nordeste estão os parreirais e as catedrais da região de Champagne, enquanto que ao longo do vale do rio Loire encontram-se belos castelos, como Villandry, Chambord e Amboise. Em Lyon você ficará frente-a-frente com as maravilhas criadas por alguns dos melhores chefs do país, em Aix-en-Provence se perderá entre campos de lavanda, enquanto que em Chartres você verá uma das mais perfeitas catedrais gótica da Europa. Em Chamonix estão algumas das mais charmosas pistas de esqui do planeta e em Versalhes está o palácio real definitivo. São tantos os cenários, sabores e cores que a mais importante competição esportiva do calendário francês chama-se Tour de France, uma corrida de bicicleta que percorre o país de norte a sul, passando por passos alpinos e campos floridos, sempre terminando na parisiense Champs-Élysées, aos pés do Arco do Triunfo. Uma grandiosa celebração a esse fantástico país.

Sugestão de roteiro: se tiver somente uma semana na França, passe pelo menos cinco dias em Paris e arredores e depois faça um passeio pelo Vale do Loire. Utilize nossos roteiros 48 Horas em Paris e 48 Horas no Vale do Loire como base. Com mais tempo, dedique tempo à Normandia e Bretanha, à Provença, à região dos Alpes e à Côte-d’Azur.

[/acc_item] [acc_item title=”ITÁLIA”]

A gesticulação e o jeito de falar exagerados, tão tipicamente italianos, são ênfases que combinam à perfeição com a infinidade de atributos que podemos, sem medo de passar do ponto, relacionar a esse país. Com uma história de quase 3 mil anos, da qual faz parte um dos períodos que definem a linha do tempo ocidental – o Império Romano –, a Itália oferece a seus visitantes cerca de 100 mil monumentos que ajudam a dar um panorama desse legado. De uma ponta a outra da adorável “bota” não faltam catedrais, palácios, fortalezas, importantíssimos sítios arqueológicos e incontáveis e sublimes obras de arte. Um festival de encantos que, como os deliciosos vinhos da terra, está pronto para ser degustado com a abundância que a tradição italiana manda – as refeições aqui podem ter até seis etapas –, mas pouco a pouco, no mais perfeito estilo slow food. Em poucos lugares do mundo pode-se apreciar tamanha diversidade e apuro no preparo do que em Bolonha, capital da Emilia-Romagna (e não estamos só falando do clássico molho a bolonhesa, aliás ragù bolognese). Como se tamanha generosidade de história, cultura e gastronomia não fossem suficientes, a Itália é um país de infindáveis e belíssimas paisagens, dono de uma eclética gama de opções turísticas. Você escolhe: relaxar em charmosos vilarejos, deslizar sobre a neve dos Alpes, tomar sol dependurado em casinhas típicas sobre o mar na Costa Amalfitana… Ou então ver de perto maravilhosas cidades que são espetáculos arquitetônicos como Veneza, Florença e Roma. Completamente distintas entre si, elas são o símbolo de um país histórico, porém razoavelmente jovem, com apenas 150 anos de idade. Antes disso, era um país fragmentado em reinos e repúblicas, uma divisão até hoje sentida nos dialetos, cozinha (pasta, polenta ou arroz?) e debates econômicos.

Parada no tempo em povoadinhos da Sicilia ou cosmopolita em Milão, urbana em Gênova ou romântica em San Gimignano, a Itália é terra para todos os gostos e sonhos. De bicicleta pelos campos da Toscana, de barco ao longo de seu belo litoral ou a bordo de um possante esportivo empurrado por um V12, curta as grandes e pequenas atrações, pare onde lhe der na cabeça e viva um país maravilhoso.

[/acc_item] [acc_item title=”ESPANHA”]

Um país em movimento. Em mais de vinte séculos de história, celtas, romanos, godos, árabes e tantos outros povos legaram profundas marcas na cultura, gastronomia e psique dos ibéricos. Se por um lado a imagem estereotipada de toureiros e dançarinas de flamenco sobrevive e encanta na Andaluzia, a Espanha de hoje mira o futuro com um profundo respeito pelas tradições regionais. Isso é particularmente verdade na Catalunha e sua pujante capital, Barcelona, sempre na vanguarda das artes, design, moda e com maravilhosos chefs estrelados. Já no orgulhoso País Basco, depare-se com as formas impressionantes do museu Guggenheim logo após fugir dos touros da festa de San Fermines. Na Galícia, onde o sonoro galego nos soa familiar, encontre seu eu nos caminhos de Santiago de Compostela, enquanto em Castela e La Mancha enfrente seus gigantes na terra de Dom Quixote e conheça as belezas de Toledo. Você sentirá a herança moura presente por todos os cantos, mas não de forma tão incisiva como em monumentais testemunhos como a fortaleza de Alhambra,em Granada, a mesquita de Córdoba e a Giralda, em Sevilha. Para badalar, Ibiza é imbatível, ao passo que Valência recebe o visitante com uma espetacular paella. Por fim, em Madri, descubra a Espanha dos monarcas Habsburgos e Bourbons e os melhores museus do país, casa das obras-primas de Velásquez, Goya e Picasso.

E, é sempre bom lembrar, talvez o melhor de toda essa aventura seja, entre museus e castelos, palácios e catedrais, saborear uma tapa com o melhor presunto serrano. Com um bom vinho. E bem acompanhado!

[/acc_item] [acc_item title=”ALEMANHA”]

A Alemanha é um dos países mais organizados do planeta, limpo e pontual, responsável e inteligente. E o melhor é que não faltam animação, belas paisagens, história e cultura. A Oktoberfest de Munique é uma verdadeira ode à cerveja e à vida, concertos de Bach e Beethoven exemplificam a genialidade humana, enquanto edificações como o castelo de Neuschwanstein, perto de Füssen, e a Catedral de Colônia mostram um pouco da história dessa nação que é um dos pilares da União Europeia. Ao mapear as cidades a serem visitadas, dá para escolher de tudo um pouco, das pequenas e encantadoras Rothenburg e Heidelberg a grandes metrópoles, como Berlim, que pulsam com uma vida cultural animada, baladas noturnas e lojas com produtos de design exclusivo. As chagas de duas guerras devastadoras e a separação entre os mundos capitalista e comunista ainda podem ser vistas por todo o país, especialmente em Dresden e Berlim, mas hoje os alemães miram o futuro sem deixar de preservar o passado. O sistema de transporte do país é impecável, com trens, bondes, estradas e aeroportos moderníssimos. A infraestrutura turística conta com hotéis e restaurantes bem cuidados e equipes treinadas com apuro. O inglês é tido como segundo idioma, o que facilita bem a vida dos turistas não versados na língua de Goethe. A Alemanha é um destino fácil e belo, seja acelerando nas pistas de uma autobahn ou navegando calmamente pelo Rio Reno. Então, em vez de usar o gigantesco aeroporto de Frankfurt apenas como sua porta de entrada para a Europa, utilize-o como o início de sua jornada por esse incrível país.

[/acc_item] [acc_item title=”REPÚBLICA TCHECA”]

Os grandes blocos de apartamento e as paisagens acinzentadas, resultado de décadas de domínio comunista, já fazem parte do passado. A República Tcheca como conhecemos hoje não precisou de 20 anos de história para, desde sua separação da Eslováquia, em 1993, remodelar suas cidades, aplicar um austero plano de crescimento econômico e dar vida a uma cena cultural e artística de vanguarda que a transformou, talvez, na mais ocidental das nações do centro-leste europeu. Sua artéria pulsante é a capital Praga. Uma das mais belas cidades do mundo (para os locais, a mais bela), Praga já entrou no roteiro obrigatório dos turistas brasileiros experientes no circuito Roma-Londres-Paris. Atrações não faltam para preencher uma semana de passeio, e a chance de não conseguir apreciar todos os detalhes do Castelo de Praga, das dezenas de igrejas com contornos góticos ou da (às vezes) intransitável Ponte Carlos são enormes. O importante é reconhecer que Praga não faz, sozinha, a fama desse país.

Tire uns dias para conhecer o castelo e as casinhas de madeira saídas dos contos de fada em Cesky Krumlov, patrimônio da humanidade pela Unesco. Ou ainda tome um trem para Plzen, onde a famosa cerveja lager foi inventada em 1842. Aliás, você compreenderá bem o papel dos tchecos nessa história ao ver no mapa nomes como Bohemia (Boêmia), Budweis (Cesky Budejovice) e Plzen (Pilsen). Se sobrar tempo, visite o Bohemian Switzerland National Park, considerado um dos mais bonitos e preservados da Europa.

Outra coisa que não pode faltar em seu roteiro é a música do país. Berço de Dvorak e Smetana, aqui há sempre bons concertos disponíveis, muitos a preços bem interessantes. Talvez nada resuma melhor esse espírito do que o próprio hino nacional. Kde domov muj? (Onde é Meu Lar?) é uma linda quase uma valsa sobre uma terra cheia de pinheiros, riachos e flores. Simplesmente perfeito.

[/acc_item] [acc_item title=”GRÉCIA”]

Sob qualquer ângulo que se analise a Grécia, seu povo e sua cultura, o resultado será um superlativo. Banhado por alguns dos mares mais famosos da Europa e da Ásia – Jônico, Mediterrâneo, Mirtóico e Egeu, entre outros –, pontuados por ilhas fantásticas, é um país de belezas naturais quase incontáveis. O deslumbre invade também o continente, onde as montanhas do Peloponeso, as rochas de Meteora e outros cartões-postais completam o pacote, como as badaladas praias de Mykonos. Descubra os vestígios de Péricles e o apogeu da cultura grega em Atenas, as origens dos Jogos Olímpicos em Olímpia e se encante com as cúpulas azuis e paisagens vertiginosas de Santorini. Encontre as pegadas das antigas civilizações que construíram, ao longo de milênios, um patrimônio arquitetônico, filosófico e cultural cujo valor não pode ser medido. Para conhecer um pouco dessa história não deixe de passar pela Creta dos minotauros e a Delos dos deuses. E os mesmos gregos que há 3 ou 4 mil anos já falavam em democracia e elaboravam uma rica mitologia são os que hoje recebem com seu notório calor os turistas. Para isso não deixe de mergulhar também na apetitosa culinária da península e suas ilhas, que vai da clássica salada horiatiki a incríveis pratos com frutos do mar. Isso tudo é claro arrematado com o azeite de veneráveis oliveiras, o vinho de Baco e um bom cálice do destilado ouzo para brindar.

[/acc_item] [/accordion]

Fonte: http://ibty.in/Q4gPL4

Fale Conosco

Não estamos online no momento. Mas você pode nos enviar um email que nós retornaremos em breve.

Perguntas, dúvidas ou reclamações? Eu adoraria ajudá-lo!

Clique ENTER para iniciar o chat